kopiehaus
 
 , 16 de Dezembro de 2017
   Revista - H&C - Household & Cosméticos Vol. X - nº 57 - Set/Out - 2009 

Sazonal Household

 

Nanotecnologia em limpeza
já é realidade no país

O Household & Auto Care, realizado no ano passado,
avisou em primeira mão que ela chegaria. E chegou.
No seminário, a tecnologia foi apresentada e agora o
Brasil ganha os primeiros produtos de limpeza com
nanotecnologia, que oferecem mais eficiência
com menor impacto ambiental.




Uma alternativa bastante promissora em diversas áreas, como medicina, física, química, ciência da computação e biologia, a nanotecnologia, que tem como princípio básico a construção de estruturas em uma escala nano (atômica), resultando em novos materiais a partir dos átomos, agora pode ser encontrada na gôndola da seção de limpeza dos supermercados, com o lançamento dos primeiros limpadores com nanotecnologia para uso doméstico. A Total Química acaba de lançar Eco Sanol Banheiro, Eco Sanol Cozinha e Eco Sanol Vidros, produtos que compõem a primeira linha de limpadores domésticos com nanotecnologia do país. Murilo Almeida, gerente da marca, explica que a tecnologia aplicada ao produto tem como base a utilização dos benefícios da sinergia entre um tensoativo não iônico e nanopartículas de sílica. “Esta sinergia promove um excelente desempenho de limpeza em superfícies fixas, criando uma camada de repelência, facilitando assim os processos de limpeza posteriores”. Almeida ressalta que a tecnologia tem baixa toxicidade, tanto em relação ao meio ambiente quanto para quem manipula o produto, é biodegradável, conforme a rigorosa legislação da Comunidade Européia, além de a formulação conter menor teor de ativo, se comparada às tradicionais. “Com isso, minimizamos o impacto ambiental negativo com descarte de material orgânico no meio ambiente”, comemora. O executivo avisa que as inovações nos produtos da empresa estão só no começo: “Para todos nossos lançamentos, estamos empenhados na utilização de tecnologias mais limpas, sustentáveis e que agreguem mais valor aos produtos, sem prejudicar o meio ambiente”.

Tecnologia desenvolvida pela Akzo Nobel

A tecnologia empregada nos limpadores Sanol foi desenvolvida pela Akzo Nobel. Comercialmente chamado de Berosol EC, o produto utiliza em sua composição um tensoativo não iônico e nano sílica (sílica coloidal). O primeiro componente do Berosol EC é o tensoativo não iônico. Trata-se de um álcool graxo etoxilado de baixa espumação (figura 1), altamente biodegradável e de baixa toxicidade. Tem a função de tensoativo principal da mistura, sendo o responsável pelo processo de detergência, ou seja, interação com a sujeira promovendo o processo de limpeza da superfície.


Figura 1: Ilustração Álcool graxo etoxilado

O segundo componente - e mais importante - é a nano sílica (sílica coloidal – figura 2). A nano sílica promove alterações significativas nas características das áreas onde o produto é aplicado, as quais ocorrem em função do efeito de deposição das nanopartículas nas superfícies (figura 3).

Esta característica de deposição torna as superfícies mais hidrofílicas e, conseqüentemente, repelente a sujeiras de características hidrofóbicas. Para comprovação desse efeito, um revestimento cerâmico foi dividido em duas partes. Em uma das partes foi aplicada uma formulação contendo Berosol EC. Na seqüência, quantidades iguais de sujeira de característica hidrofóbica foram aplicadas em ambas as partes. Posteriormente, foi promovido enxágue com água e o efeito de repelência é facilmente observado na parte tratada (figura 4). A intensidade dessa interação e o efeito de repelência sofrem variações de acordo com as características da superfície onde ocorre a aplicação. O seu efeito máximo é observado em superfícies de revestimentos cerâmicos esmaltados, normalmente usados em cozinhas e banheiros, como azulejos e porcelanatos.

Outro efeito bastante interessante em relação ao uso da nano sílica associada na formulação do Berosol EC está relacionado à aplicação em vidros. Quando são tratadas superfícies como vidro e espelho, o Berosol EC pode proporcionar um efeito que evita o embaçamento. Considerando que o embaçamento ocorre quando milhares de minúsculas gotas de água se condensam sobre o vidro ou outra superfície, essas gotas fazem com que a luz se espalhe em padrões aleatórios, atrapalhando a visão. O Berosol EC evita esse processo devido ao aumento da característica hidrofílica da superfície. Essa mudança impede a formação de gotas, forçando a água a se espalhar pelo vidro, com diminuição do ângulo de contato com a superfície (Figura 5).

Em função de sua característica não iônica, O Berosol EC apresenta compatibilidade com todas as classes de tensoativos (catiônicos, aniônicos, anfóteros). Esta característica torna-o bastante versátil, podendo ser o único ativo na formulação ou trabalhar em sinergia para melhorar desempenho de outras formulações que utilizam combinação de tensoativos, o que aumenta o leque de aplicações possíveis (figura 5).

As formulações com o Berosol EC podem proporcionar um diferencial bastante interessante em a relação às formulações tradicionais, seja como ativo principal, pois normalmente as formulações indicadas para os limpadores de superfície contêm 1/3 dos tensoativos presentes em formulações tradicionais, ou como auxiliar para melhorar alguma característica especifica de desempenho. Trata-se, portanto de uma inovação tecnológica para o mercado de higiene e limpeza, a qual segue rigorosamente as tendências globais de minimizar o impacto ambiental. Fonte: Akzo Nobel

M.Cassab já disponibiliza nanotecnologia
para desodorizadores de ambientes
Com aplicação indicada para desodorizadores de ambientes, especialmente
em spray, a M.Cassasb já dispõe de tecnologia capaz de prolongar a liberação e a sensação de fragrância. Trata-se do HydroSal, um sistema de liberação controlada de nanosferas, cobertas por uma camada polimérica. De acordo com Wilma Flora Santos Souza Carrato, coordenadora de desenvolvimento e pesquisa, a tecnologia funciona como um superabsorvente de mau odor, ao mesmo em que promove a liberação de fragrância. “HydroSal é um sistema de entrega versátil que pode ser incorporado em produtos aquosos, alcoólicos e hidroalcoólicos e estende a liberação a um período de tempo superior e promove a ‘explosão’ da fragrância. A água (umidade) é o ‘gatilho’ para ativar a liberação. A ativação induz a dissolução do revestimento”, explica. Wilma relata que, em testes, uma amostra de NanoFresh contendo fragrância permanece no papel 20 vezes mais, quando comparada ao controle sem fragrância.





M.Cassab traz especialista norte-americano em nanotecnologia

Sam Shefer desenvolve há 20 anos
tecnologias de liberação controlada

Com o objetivo de levar inovação aos seus clientes, a M. Cassab promoveu uma série de palestras com especialistas internacionais sobre inovações em tecnologias e ingredientes cosméticos. O evento contou com participações de Darryll Palms, gerente de negócios relacionados a ativos antitranspirantes da Gulbrandsen (New Jersey – EUA), e Alfonso Espejo, gerente para as Américas da Industrial Quimica Lasem – IQL (Barcelona – Espanha), que apresentou as vantagens do uso de ésteres vegetais. Um dos destaques foi a palestra Nanotecnologia a Serviço da Indústria Cosmética – Inovação e Soluções Inteligentes, apresentada por Sam Shefer, engenheiro formado pelo Massachusetts Insitute of Technology e PhD em engenharia química e bioquímica, que desenvolve diversas tecnologias de liberação controlada há mais de 20 anos. Em 1999, fundou Salvona Technologies, em New Jersey (EUA), representada no Brasil pela M.Cassab. Confira entrevista exclusiva com o especialista:

Como a nanotecnologia de liberação controlada de ativos vem sendo utilizada nos Cosméticos? Em que estágio o Brasil está?
Este é um conceito que vem da área farmacêutica. A idéia básica é proteger ingredientes ativos para que sejam liberados no momento exato e no ponto onde são necessários. A Salvona vem se especializando no desenho de tecnologias de liberação controlada, gerando aplicações inteligentes em basicamente todas as áreas de higiene pessoal e cosmética. São quase 100 patentes registradas nas áreas de cuidados pessoais, cuidados com a pele e o cabelo. Esta tecnologia, como muitas outras, tomou um impulso inicial maior nos mercados europeus e nos Estados Unidos. No Brasil, a nanotecnologia está em estágio inicial. Apesar de poucos produtos lançados, o tema vem recebendo grande atenção das áreas acadêmicas, bem como dezenas de empresas, considerando lançamentos nos próximos meses.

Existem possibilidades ainda não exploradas mundialmente e no Brasil?
Sim, sem dúvida. A limitação das aplicações nanotecnológicas está na criatividade humana. Trata-se de uma tecnologia versátil e com vários benefícios adicionais que a tornam adequada ao formulador moderno. O Delivery System que a Salvona oferece pode se adaptar perfeitamente ao mercado mundial, assim como ao brasileiro por duas principais razões: É ecologicamente correta. Os materiais da Salvona são biodegradáveis e a maioria de origem vegetal, que são processados em condições que respeitam o meio ambiente. As tecnologias são patenteadas e são disponíveis somente para a Salvona. A Salvona também oferece desenvolvimentos personalizados para clientes que queiram melhorar sua tecnologia e performance.

Quais as principais vantagens dessa tecnologia?
As razões principais para o uso do delivery system e, em geral, o sistema de encapsulamento são para melhoria de estabilidade; melhorar o processo de incorporação na formulação para produtos únicos; sustentar a liberação gradativa  de ingredientes ativos, para que os benefícios durem por mais tempo; provocar a liberação do ingrediente ativo pelo consumidor, para que tenha o efeito desejado quando necessário, e para aumentar a penetração nas camadas mais profundas da pele, aumentando a eficácia do produto cosmético. Aliás, vale um comentário importantíssimo: a nanotecnologia aplicada à cosmética foi devidamente regulamentada pelo FDA (Foods & Drogs Administration) no mercado norte-americano, pois havia um receio de que nanopartículas poderiam permear todas as camadas da pele e atingir a corrente sanguínea. Isto levaria a aplicações farmacêuticas e não cosmetológicas. Para evitar qualquer desdobramento nesse sentido, o FDA instruiu as empresas que lidavam com tal tecnologia, para que controlassem o diâmetro mínimo das partículas para tamanhos na escala sub-micro (10-7 – 10-8).

Com o avanço da aplicação da nanotecnologia, o que podemos esperar dos cosméticos do futuro?
Há 30 anos, o único tipo de encapsulamento que era encontrado no mercado eram fragrâncias usadas em papéis ou talcos. Estes foram os primeiros passos da liberação controlada. Hoje, a ciência e a tecnologia estão desenvolvendo diversos materiais e processos que se tornaram mais acessíveis, resultando em diversos produtos, como:

  1. Desodorantes antitranspirantes: uso de fragrâncias encapsuladas para sustentar e destacar o perfume, mascarando o mal odor.
  2. Shampoos: Uso de pequenas esferas com perfume e agente de brilho encapsulados ou agentes para promover longa duração de refrescância e controle de frizz.
  3. Loções para pele: uso de diversas tecnologias para aumentar o tempo de emoliência e agentes anti-idade.

No futuro, teremos novos produtos cada vez mais funcionais e efetivos, superando as dificuldades inerentes à incorporação nas bases ou mesmo protegendo ativos sensíveis até o momento de seu uso. Um bom exemplo desses produtos inovadores é o sabonete antiacne da Clinic. O encapsulamento permite a incorporação do ácido salicílico, que normalmente não poderia ser incorporado diretamente em sabonetes de base alcalina. Tal ativo ficará integro até o momento do uso, quando promoverá seu desejado efeito de esfoliação da pele, resultando em uma pele com visual mais jovial, macia e sem acne. Outro exemplo que seguramente encontrará aplicações adequadas é a tecnologia MultiSal Fragrância, que libera a fragrância quando ativado pela umidade da pelem e E a tecnologia HydroSal Antiseptics, que libera o ingrediente antisséptico quando a pele está hidratada para impedir o crescimento de bactérias que possam causar problemas de mal odor. Estes são somente dois exemplos de liberação gradativa e quando necessária de ingredientes ativos. É fácil imaginar boas aplicações dessas tecnologias no desenvolvimento de desodorantes. A tecnologia estará melhor e mais barata ao longo do tempo. Nanotecnologia já é considerada um negócio que gera milhões de dólares e irá ter um maior impacto em cosméticos e produtos dermatológicos. Será possível utilizar menores concentrações para obter melhores resultados. Os produtos serão menores e mais eficientes, mais inteligentes. As empresas que entraram nessa tecnologia vão ganhar mais nos dias de hoje, porque já entendem melhor o consumidor e suas necessidades.




MidiaKit2017HH2016LuxePack Monacoin-cosmeticsBanner Phoenix 2017ABCChemspecsCrodaPresperseBandeirante BrazmokopiehausVitafoodsWana QuímicaLonza full